PROFESSOR ROBERTO LOSZ

Em evento beneficente, em fins de 2019, no Lions Clube Centro, aqui em Rio Claro, conheci a Professora Maria Beatriz de Souza, diretora da E. E. Professor Roberto Garcia Losz, no Jardim Boa Vista.

Tive a honra de ser aluno do ilustre educador que empresta seu honroso nome ao estabelecimento. Nas matérias inglês e português, nos primeiro e segundo anos do Curso Colegial Técnico em Contabilidade, nos anos de 1963 e 1964, no Alem.

Com colegas do meu escritório, e da Turma que concluiu o curso em 1965, cheguei a estudar alguma forma de colaborar com a Escola, que fomos conhecer. Mas com a pandemia, nosso projeto acabou sendo adiado. Mas ainda será levado a efeito, se Deus quiser.

Recentemente, a professora Bia acaba de me convidar para uma “live” aos seus alunos, quando deverei falar sobre o Professor Roberto, e sobre a profissão de advogado. Isto amanhã, às 13 horas.

Prof. Roberto proferia suas aulas com especial brilho. Era mestre muito querido de toda a Turma. É (porque ainda vivo em nossos corações) daqueles mestres que, como professores do antigo Primário, são lembrados para sempre.

Formado em Pedagogia na antiga Faculdade de Filosofia Ciências e Letras, depois incorporada ao Campus da UNESP local, em 1965. Lecionou, mesmo durante o Curso Superior, em diversas escolas de Rio Claro e Região. Exerceu a diretoria em várias escolas estaduais, e por último na EEPSG Chanceler Raul Fernandes.

Terminou sua profícua vida profissional na Delegacia de Ensino local, em 18/08/91. Quando, precocemente (52 anos), veio a óbito. Seus alunos estão certos de que está proferindo aulas no Paraíso.

Merecia a admiração e respeito de todos os seus alunos. Os quais conhecia pelo nome completo. Suas aulas eram grandiosas, com absoluto silêncio. Esclarecia todas as dúvidas, e sempre tinha um chiste incentivador para cada aluno.

Bom professor e bom filho. Comentava-se que renunciara a uma Bolsa de Estudos em importante Universidade Europeia, para não afastar-se da genitora.

Sobre a profissão de advogado, suponho que deva falar genericamente e também sobre minha vida profissional, como operador do Direito, com mais de 50 anos de formado (colei grau em dezembro de 1970).

Não sei sobre o que a garotada vai-me indagar. Mas vou dizer-lhes – independentemente do que me for perguntado – que minha aspiração de exercer a nobre carreira profissional já havia-se-me aflorado pelos meus 12 anos, aproximadamente.

Vou dizer-lhes que assim me decidira por admirar o trabalho dos advogados do Sindicato dos Ferroviários, em que meu pai foi diretor Secretário Geral, de 1.956 a 1.962.

É que fiquei encantado com o trabalho desenvolvido pelo Departamento Legal da entidade, sobre o qual o velho Irineu me contava o que era feito na defesa dos direitos dos associados. Chefiava o departamento Dr. Francisco Amaral, que foi deputado em Brasília e Prefeito de Campinas.

Conhecendo um pouco sobre a atividade do departamento, brotou em minha vontade o desejo de ser como aqueles, e estabeleci como meta o Curso de Direito e, inscrito na Ordem, Advogado.

Tenho para mim que realizei meu sonho de garoto: advogado de 1971 a 1.979, e de agosto/2000 até hoje. No intervalo, fui Magistrado, aposentando-me como Desembargador.

Quem sabe algum garoto se interesse e venha – num futuro próximo – ser meu colega, caso este septuagenário ainda se encontre por aqui.

O autor é Advogado militante nesta Comarca – OAB/SP 25.686

E–mail: oliveiraprado@aasp.org.br

www.oliveirapradoadvogados.com.br

 

Publicado em 03/06/2021,  Jornal Cidade (Rio Claro/SP), Página 02.

                                                

 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *